Minhas Compras
Você adicionou a sua lista de compras. O que deseja fazer agora?
Continuar Comprando! Fechar Compra!

anelog@anelog.com.br    (81) 9.9278-7862   

Anelog - Associação Nordestina de Logística

Transporte rodoviário no Brasil

por Victor Adriano Tavares PROFESSOR UNIVERSITÁRIO (ADMINISTRAÇÃO E LOGÍSTICA)

Por ANELOG dia em Artigos

Transporte rodoviário no Brasil
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Quando falamos de cada modal de transporte na matriz brasileira é inegável que o transporte rodoviário possui o monopólio das operações representando quase 76,4% da movimentação de materiais, onde este fenômeno está ligado a chegada das indústrias automobilistas nos anos de 1950 que agilizou o crescimento da construção de rodovias.

Mesmo com um percentual tão elevado no processo distribuição de cargas no Brasil, o modal rodoviário vem apresentando razões que fazem o mesmo ser questionado pela sua ineficiência.

Transporte rodoviário no Brasil

Fonte: Dias (2017)

Como podemos observar, esta ineficiência está ligada a todos os atores envolvidos na operação como: transportadores pela falta de veículos, mão de obra qualificada, locais adequados para armazenagem dos materiais, péssimos locais de parada e descanso e pela falta de segurança e condições de tráfego dos veículos.

Para Dias (2010) “Para vencer todas as adversidades das grandes distâncias de um país de dimensões continentais e de precária infraestrutura, a logística de transporte teve de ser bem criativa”.

Outro fator preponderante para demonstrar tal ineficiência, podemos citar os carreteiros que não possuem estrutura suficiente para brigar com as transportadoras e os agenciadores que negociam quase que 55% do volume total de carga transportada no País. Além disso podemos citar outro fator que contribui para este estado de ineficiência em que se encontra o transporte rodoviário, isto é, das quase 3500 empresas cadastradas na ANTT, apenas 3,5% possuem frota própria e o restante utiliza a mão de obra do carreteiro. Apesar dos dados apresentados anteriormente sobre a ineficiência do transporte rodoviário de cargas, não podemos deixar de destacar que esse modal é de fundamental importância para a economia nacional, pois ele movimenta 7% do PIB (Produto Interno Bruto).

Diante dos dados alarmantes apresentados e pela grande significância do transporte rodoviário para nossa economia, o Governo Federal a e ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) vem implantando ações de melhoria de exploração das infraestrutura e fiscalização na execução dos contratos de concessão das rodovias, onde o Governo fica com a titularidade do patrimônio público e a iniciativa privada realiza obras de melhorias com direito a exploração durante a vigência do contrato de concessão.

A concessão vem apresentando dados significativos, como podemos observar abaixo:

    • 10.336 quilômetros de rodovias concedias
    • 22 contratos de concessão de rodovias
    • 47 bilhões investido em operações
    • 1,47 bilhões repassa de ISS para 429 Municípios
    • 15 mil empregos gerados em 2020
    • 31 bilhões investidos em obras e manutenção

Com os números apresentados pela ANTT, podemos verificar que o país está buscando melhorar a infraestrutura do transporte rodoviário, promovendo o desenvolvimento e crescimento econômico do país. Outro ponto importante é que, efetuando a concessão das rodovias o investimento é garantido e a manutenção é constante.

Apesar de toda essa movimentação do Governo e da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) vale ressaltar outros pontos primordiais para melhoria do transporte rodoviário de cargas no país, tais como:

    01 - Características da carga
    02 - Características do transporte
    03 - Características da rota
    04 - Características de veículo
    05 - Velocidade operacional
    06 - Tempo de carga e descarga
    07 - Horas de trabalho

Esses pontos listados fogem da alçada dos órgãos oficiais e passam pela responsabilidade dos transportadores autônomos e transportadoras. Diante da realidade alcançada pelo transporte rodoviário, seu estágio de desenvolvimento precisa obter respostas rápidas para conseguir atender a expectativa do mercado.

O aumento da qualidade do transporte rodoviário de cargas e a adequação das necessidades pertinentes a melhoria dos processos está diretamente ligada as ações do Governo Federal, da agência reguladora e da iniciativa privada que precisam estar alinhados para conseguir fortalecer a competividade da produção brasileira no mercado externo e também ajudar na melhoria da renda com a redução dos custos em toda cadeia logística.
Tomando como referência os dados aqui apresentados e toda dinâmica do transporte rodoviário de cargas, finalizo deixando a seguinte pergunta para os leitores:

A implantação definitiva da operação de transporte multimodal para um país de dimensões continentais como o Brasil possibilitaria uma melhorar racionalização dos meios de transporte, trazendo maiores benefícios para sociedade e economia, ou devemos trabalhar o modal rodoviário como nossa maior referência?

 

Todos os Artigos são de responsabilidade de seu autor

Galeria de Imagens

  • Transporte rodoviário no Brasil - Foto 1
  • Compartilhe esse post
  • Compartilhar no Facebook00
  • Compartilhar no Google Plus00
  • Compartilhar no Twitter

Deixe seu comentário aqui: